IVM CIDADE EM MOVIMENTO
A mobilidade é um tema social, não só uma questão de transporte. Para inovar, devemos observar a sociedade em seu conjunto. Instituto Cidade em Movimento (IVM): pesquisas e ações internacionais, soluções inovadoras, conhecimento compartilhado.

Passagens

Saiba quem são os jurados da fase final do Passagens Jardim Ângela

Após uma semana intensa de visitas de campo, trabalhos em grupo, palestras, orientação profissional, conversas com associações e líderes locais, chega ao fim o workshop internacional do Passagens Jardim Ângela. Neste sábado, dia 10, as seis equipes terão 15 minutos cada uma para apresentar  seus projetos finais a um júri formado por arquitetos e urbanistas brasileiros, moradores e líderes do bairro, especialistas do IVM Internacional e representantes da Secretaria Municipal de Serviços e Obras da Prefeitura de São Paulo. Saiba mais sobre cada jurado.

Mireille Apel-Muller
Formada em Literatura, Artes e Sociologia, desenvolveu atividades profissionais na imprensa, no teatro e na edição especializada. Membro fundador do concurso europeu Europan desde 1988. Diretora do IVM desde 2000, participa dos projetos inovadores do instituto sobre a mobilidade urbana. Organizou a criação das sedes do IVM na China, no Brasil e na Argentina. Coordenou eventos científicos interdisciplinares (arquitetura, urbanismo, sociologia, economia, arte e outros) na Europa e outros continentes, em particular na China e na América Latina. Também dirigiu várias publicações do Instituto e exposições internacionais, tais como “A rua é nossa!”, em 2012, e “Passagens, espaços de transição da cidade do século XXI”, em 2016.


Carles Llop 

 

Doutor em Arquitetura e Urbanismo, chefe do Departamento de Planejamento Urbano e Regional da Universidade Politécnica da Catalunha. Carles também é membro do grupo de arquitetos Jornet-Llop-Pastor. Foi vencedor do Prêmio Nacional de Planejamento do Ministério da Habitação da Espanha, em 2010 e, no ano seguinte, ganhou o Prêmio Europeu de Desenvolvimento Urbano. É também premiado na 11ª Bienal de Arquitetura da Espanha.

 

 

Natalia Castaño Cardenas
Arquiteta formada pela Universidade Nacional da Colômbia e Mestre em Paisagem, Ambiente e Cidade pela Universidade Nacional de La Plata, Argentina. Natalia trabalhou na Companhia de Desenvolvimento Urbano de 2004 a 2007, na concepção de projetos para o espaço público e no desenvolvimento de projetos urbanos e estratégicos para a cidade de Medellín. Atuou como consultora em agências de cooperação internacional, universidades e ONGs no Equador, Peru e Argentina. Incorporou em 2011 o Centro de Estudos Ambientais e Urbanos da Universidade EAFIT, onde participou do desenvolvimento de projetos como o Plano Diretor BIO 2030, para o Vale do Aburrá, como coordenadora acadêmica e professora do curso de mestrado em Processos Urbanos e Ambientais, bem como no desenvolvimento de projetos de pesquisa.


Pascal Amphoux
Arquiteto e urbanista, professor na École Nationale Supérieure d’Architecture de Nantes. Participou de inúmeros projetos ambientais e de arquitetura e urbanismo (Escritório CONTREPOINT, projetos urbanos de Lausanne). Pascal é pesquisador no Centro de Pesquisa sobre o Espaço Sonoro e Meio Urbano (CRESSON, Escola de Arquitetura de Grenoble, unidade de pesquisa UMR CNRS). É membro do conselho científico do IVM em Paris, especialista prestador de serviços para instituições suíças, francesas e europeias. Autor de livros e publicações científicas sobre o meio urbano sonoro,  especificamente sobre as relações entre a prática do projeto, a estética paisagística e os métodos de ciências sociais.

 

 

Pedro Luiz de Castro Algodoal (SMSO – São Paulo/SP)
Engenheiro Civil efetivo, na Prefeitura Municipal de São Paulo, onde trabalha desde 1983. Atuou como gerente de projetos, diretor de projetos de drenagem e superintendente de projetos viários em atividades ligadas a projetos de drenagem urbana e de sistema viário, plano diretor de drenagem, orçamentos, sistema de alerta e planejamento. Em 2016, ocupou o cargo de diretor de projetos na SP Obras. Representante da SIURB no CADES – Conselho de Meio Ambiente; no Plano Diretor de Macrodrenagem da Bacia do Alto Tietê (DAEE);  na Câmara Técnica do Alto Tietê e no Conselho Gestor PMSP/SABESP. Atualmente, atua na Assessoria do Gabinete do Secretário, na Secretaria Municipal de Serviços e Obras (SMSO).

 

 

Mary Jane Paris Spink 

Graduada em Psicologia pela Universidade de São Paulo (1969) e doutora em Psicologia Social pela London School of Economics and Political Science  (1982). Professora Titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo no Programa de Estudos Pós-graduados em Psicologia Social. É líder do Grupo de Pesquisa (CNPq) Práticas Discursivas e Produção de Sentidos. Autora de livros, artigos e outros produtos bibliográficos, entre eles os livros: Práticas Discursivas e Produção de Sentidos (atualmente disponível em versão digital na Biblioteca Virtual de Ciências Humanas do Centro Edelstein de Pesquisas Sociais); Psicologia Social e Saúde (Editora Vozes), Psicologia em Diálogo com o SUS, Casa do Psicólogo e A Produção de Informação na Pesquisa Social – compartilhando ferramentas (Centro Edelstein de Pesquisas Sociais).

 

Marcos Rosa 

É arquiteto e urbanista pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo na USP. Recebeu com honras título de doutor pela Universidade Técnica de Munique em ordenamento do território, planejamento e desenho urbano. Lecionou na Universidade Técnica de Munique (TUM, Munique), no Instituto Federal Suiço (ETH, Zurique), na Aedes Network Campus (ANCB, Berlim) e na Escola da Cidade (São Paulo). Criou e dirigiu plataformas de mapeamento colaborativo em São Paulo e no Rio de Janeiro (2008-2013) junto ao projeto Urban Age e no Instituto Federal Suiço (ETH), entre 2010 e 2011. Dentre suas publicações destacam-se os livros “Microplanejamento, práticas criativas urbanas” (São Paulo, 2011), “Handmade Urbanism” (Berlim, 2013), “From Modern Infrastructures to Operational Networks” (Munique, 2015) e da plataforma global “Co-designing the City: Architecture + Informal Intelligence” (União Europeia, 2016).  Atualmente é diretor de conteúdo da Bienal de Arquitetura de São Paulo e curador do projeto urbanxchanger para a Alfred Herrhausen Gesellschaft de Berlim, uma plataforma para a ação experimental em São Paulo, Berlim, Cidade do Cabo, Cidade do México e Nova Deli.


Valter Caldana 

É arquiteto e urbanista graduado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (1985). Tem mestrado em Planejamento Urbano e Regional (1994) e doutorado em Projeto de Arquitetura (2005), ambos pela FAUUSP. Atualmente é professor adjunto da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, onde também foi diretor (2009/2016). É professor visitante do Departamento de Arquitetura, Design e Urbanismo em Alghero da Universidade de Sassari – Itália, pesquisador do grupo de pesquisa Arquitetura e Construção e Coordenador do Laboratório de Projetos e Políticas Públicas. É membro eleito do Conselho Municipal de Política Urbana da Prefeitura de São Paulo, conselheiro do IVM Brasil e diretor do Laboratório de Políticas Públicas da FAU Mackenzie.


Elza Alves de Lima

É voluntária no social-local atendendo às reivindicações das famílias carentes da região do Jardim Ângela, M’Boi Mirim e Capão Redondo.  Atuou na Regional de M’Boi Mirim na área cultural deixando legados como implantação de biblioteca na praça do Bambuzal e implantação da Feira de Artes, Artesanatos e Comida Típica na Praça da Piraporinha. Atua na Prefeitura Regional de Campo Limpo na área Habitacional como supervisora de habitação. Tem graduação em Gestão de RH pela Universidade Uniararas. É graduada em Contação de Histórias pela Fatace e em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela  Unimes. Desenvolveu atividades profissionais na Prefeitura de São Paulo como educadora de Ensino Fundamental e na alfabetização de adultos.

 

 

Acompanhe nosso site e redes sociais para atualizações em tempo real sobre o concurso Passagens Jardim Ângela (Facebook e Instagram).

Pular para a barra de ferramentas