IVM CIDADE EM MOVIMENTO
A mobilidade é um tema social, não só uma questão de transporte. Para inovar, devemos observar a sociedade em seu conjunto. Instituto Cidade em Movimento (IVM): pesquisas e ações internacionais, soluções inovadoras, conhecimento compartilhado.

Publicações

Por cidades em movimento

Para colaborar com pesquisas e ações sobre mobilidade urbana no Brasil, e melhorá-la cada vez mais, chegou ao País o Instituto Cidade em Movimento.

A entidade visa reunir especialistas de áreas diversas, como urbanismo, engenharia, sociologia, política pública e educação, em torno do conceito de cultura da mobilidade.

O Instituto nasceu em Paris há treze anos e conta com escritórios ativos também em Xangai e Buenos Aires. “Cada sede é uma base de reflexão em particular, mas todas enriquecem o debate geral e a visão de conjunto”, diz Andres Borthagaray, diretor da sede latino-americana de Instituto por la Ciudad en Movimiento, em entrevista por e-mail a PÁGINA22.

A sede do Brasil fica na cidade de  São Paulo e entre os projetos em planejamento que devem chegar a ela está o “Cidade Legível” que busca suprir quem usam o transporte público de informação útil e simples para sua locomoção. Em Buenos Aires, onde a iniciativa já acontece, as estações de metrô receberam painéis informativos com dados sobre a  integração com todas as alternativas de transporte. E, ainda mais legal, os painéis mostram pontos históricos, arquitetônicos e serviços que estão a uma distância de cinco minutos de caminhada da estação. (Veja no final da página uma foto um detalhe dos painéis que se encontram em Buenos Aires). Cria-se, assim, uma interface muito mais amigável entre o sistema e usuários.

“Contribuímos para fazer a cidade mais legível e deste modo os usuários têm autonomia e segurança na hora de se decidir por um ou outro caminho ou forma de transporte”, ressalta Borthagaray. O projeto acontecerá em São Paulo, a exemplo da cidade argentina, por meio de possíveis parcerias entre o poder público e empresas prestadoras de serviço. E como define Borthagaray, é “um desafio cognitivo, de design e de organização”.

Não há uma única razão para a chegada ao Brasil, mas um conjunto, segundo Borthagaray: a importância dos desafios urbanos e de mobilidade, o dinamismo da comunidade científica e profissional, o antecedente de vários projetos científicos e culturais já realizados, o compromisso de financiadores e a predisposição de eventuais parceiros.

O instituto já conta com apoio de entidades  como o Instituto de Arquitetos do Brasil, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Mackenzie, Universidade Católica de Porto Alegre, GAD’ Branding e Design, Museu da Casa Brasileira, Design Redig  e a Prefeitura de Porto Alegre.

Em breve, o Brasil contará com mais pesquisas, livros, vídeos, artigos, seminários e debates organizados pelo Cidade em Movimento. Além de ações concretas. Tudo pela mobilidade de verdade.

cidade-em-movimento-2

Detalhe do painel do metrô em Buenos Aires feito pelo projeto “Cidade Legível” do Instituto Cidade em Movimento

http://www.pagina22.com.br/index.php/2013/11/por-cidades-em-movimento/

Pular para a barra de ferramentas