IVM CIDADE EM MOVIMENTO
A mobilidade é um tema social, não só uma questão de transporte. Para inovar, devemos observar a sociedade em seu conjunto. Instituto Cidade em Movimento (IVM): pesquisas e ações internacionais, soluções inovadoras, conhecimento compartilhado.

Passagens

PASSAGENS – locais demonstradores em curso

Os locais demonstradores (ou pilotos) são as pontas de lança deste programa. Emblemáticos pela diversidade de situações, sem serem exaustivos, os concursos que estão sendo organizados irão desembocar em realizações concretas de passagens inovadoras; serão catalisadores de outros projetos culturais e artísticos e nutrirão os conteúdos da exposição, do colóquio e do catálogo de modo tal a desenvolver um conceito das passagens contemporâneas.

Conheça o que está sendo feito em Barcelona, Xangai, Toronto, Montevidéu, Tours, Buenos Aires

Barcelona, Espanha
No extremo leste de Barcelona, apesar de sua reputação pela qualidade dos espaços públicos, suas ramblas e sua inovadora organização da mobilidade, a questão da passagem se coloca de forma crítica. Trata-se de atravessar o rio Besòs, conectar parques, vincular bairros separados por um conjunto de infraestruturas que constituem verdadeiras barreiras. Serão realizados dois concursos — seguidos de atividades– os quais estarão apoiados sobre uma programação artística rica e variada, ancorada na vida cultural de Barcelona:
– Um local piloto consistente na transformação de uma passagem existente sobre a via férrea costeira em espaço público, recebendo e facilitando o acesso de moradores do bairro San Adrià del Besòshacia ao mar.
– Uma edição especial “Passagens” do concurso multidisciplinar RaconsPúblics (Recessos públicos), aberto ao público em geral, convocando intervenções imediatas de melhoria estratégica em pequena escala sobre os espaços públicos urbanos.
Parceiros: Consorti, Barcelona Regional, RaconsPublic, FAD (Foment de les Arts i del Disseny), Prix Européen de l’Espac Public en lien avec le CCB (Centre de Culture Contemporaine de Barcelone) e outros em curso.

 

Xangai, China

Enquanto que nas cidades chinesas as realizações urbanas gigantescas se multiplicam do mesmo modo que as imponentes infraestruturas, IVM China destaca a importância dos pequenos espaços públicos de mobilidade, que permitem percorrer a cidade na escala humana: as passagens simbólicas e físicas das aldeias rurais absorvidas pela cidade ou, também, a valorização dos percursos históricos ou culturais das cidades tradicionais.
Parceiros: Universidade de Tongji, Expo Xangai Group e outros.

 

Toronto, Canadá
Como no mês de julho de 2015 Toronto será sede dos jogos pré-olímpicos americanos, os «Jogos Pan-Americanos», foi conformado um grupo para reconstituir a trilha Pan Am: um caminho de cerca de 80 km que privilegia as mobilidades ativas e atravessa os desfiladeiros característicos da cidade e
arredores. Foram identificados alguns segmentos com o objetivo de criar as passagens que permitam aos moradores dos bairros vizinhos mais desfavorecidos acederem a este novo espaço público. A acessibilidade das novas estações de metrô-LRT, cuja rede está hoje em expansão, constitui para o IVM outra oportunidade de local demonstrador sobre as passagens inovadoras .
Parceiros: Metrolinx, Universdade de Toronto, Global Cities Institute, Prefeitura de Toronto, Pan Am Path e outros em curso.

 

Montevidéu, Uruguai
Enquanto uma operação urbana de grande escala em um bairro humilde na periferia de Montevidéu está sendo feita, a realização de uma pequena passagem teria um impacto importante, pois facilitaria o acesso de mais pessoas aos novos equipamentos realizados. Parceiros: Cidade de Montevidéu e outros.

 

Tours, França
Há um ano, a concessionária Vinci Autoroute tem feito um trabalho de reflexão com a cidade de Tours sobre uma melhor integração da autoestrada A10 que a atravessa. Nesse território, atravessado também por uma via férrea, dois cursos de água e uma rede viária secundária, as oportunidades das passagens inovadoras são múltiplas para conectar Tours e St-Pierre-des Corps, os rios de Cher e Loire, a cidade alta e a cidade baixa.
Parceiros: VinciAutoroute e outros em desenvolvimento.

 

Valparaíso, Chile
Em Valparaíso, queremos chamar a atenção sobre os ascensores (sistema funicular) como exemplos de passagens verticais, adaptadas à topografia de uma cidade em encostas. Estes ascensores, que se encontram frequentemente em mau estado, foram abandonados ou reapropriados, degradados de sua função de espaço público de mobilidade. Como aumentar estas passagens para que, independentemente de um serviço, tornem-se uma experiência em si?
Parceiros: Escola de ARQ UTFSM, Archiprix Chile, a Cidade de Valparaíso, o Porto, o Escritório de Turismo e outros.

Santiago, Chile
Na comuna de Florida, na periferia de Santiago, está sendo realizada uma reflexão sobre o desenvolvimento na escala regional, no qual a construção da nova linha de BRT (ônibus de transito rápido, da sigla em inglês de Bus Rapid Transit), associada ao cruzamento da linha férrea de Transavío — barreira intransponível entre os bairros residenciais e o novo centro comercial — constitui um importante desafio. Como situação emblemática de passagem, este local formula uma reflexão mais geral sobre o cruzamento de infraestruturas.
Parceiros: Pontifícia Universidade Católica do Chile e outros.

Buenos Aires, Argentina
A ruptura entre a cidade e o Rio de la Plata, a articulação com o trem, os limites impostos por barreiras naturais ou administrativas históricas possibilitaram uma prospecção em três locais: o plano de urbanismo para a zona ferroviária de Palermo, a articulação entre o tecido urbano em torno ao

PASSAGENS – Intervenções para quem? Com quem?

PASSAGENS – Equipe 

Pular para a barra de ferramentas