IVM CIDADE EM MOVIMENTO
A mobilidade é um tema social, não só uma questão de transporte. Para inovar, devemos observar a sociedade em seu conjunto. Instituto Cidade em Movimento (IVM): pesquisas e ações internacionais, soluções inovadoras, conhecimento compartilhado.

Passagens

Passagens ao redor do mundo que transformaram o significado da transição e o ato de caminhar

No último post falamos de algumas passagens de São Paulo que foram transformadas em lugares mais sensíveis e criativos. Agora é a vez de mostrar como estes “espaços de transição” foram ressignificados em diferentes países. Selecionamos alguns exemplos catalogados pelo programa “Passagens”, do Institut Four La Ville Mouvement (IVM). O programa visa a realização de estudos de caso, provas piloto, intercâmbios acadêmicos, eventos culturais e ações concretas e inovadoras sobre os espaços de articulação, com o objetivo de revalorizar e dar sentido social a esses lugares.

Escolhemos abaixo alguns exemplos de ações que, na maioria dos casos, tiveram máximo impacto e mínima interferência no espaço, e podem ser replicáveis em diferentes países e cidades. Quem sabe não serve de insight para você inscrever sua intenção de projeto no concurso Passagens Jardim Ângela? Lembre-se: as inscrições estão abertas até 10/05 para estudantes, jovens profissionais, ativistas urbanos, coletivos e organizações. Saiba mais clicando AQUI.


MÉXICO
Como parte do programa nacional de prevenção social de violência e crime, o Departamento de Serviços Públicos da cidade de Toluca, capital do Estado do México, lançou em 2014 um programa de manutenção sob pontes para tornar esses lugares esquecidos em espaços públicos de encontros. Pelo menos 11 locais foram transformados em locais de esporte, lazer e cultura.

Crédito da Foto: IVM Brasil. 

LÍBANO
As escadarias nas cidades são, na maioria dos casos, áreas cinzentas e tristes, mas também simbolizam uma ligação entre um lugar e outro. Na cidade de Beirute, no Líbano, artistas e ativistas locais assumiram esta “tela em branco” para levar mais vida, mais cor e mais arte aos moradores e usuários do espaço, tornando o ato de caminhar por estes degraus em uma experiência muito mais agradável e acolhedora. O vídeo abaixo mostra os bastidores desta ação.

CHINA
The Red Folding Paper in the Greenway
Acredite ou não, mas este espaço era um lugar que antes as pessoas evitavam passar: abandonado, depredado e com a presença de um rio poluído. Construído em 2010, na cidade de Qian’an, na China, o “Papel Vermelho Dobrável na Estrada Verde” (em tradução livre)  transformou essa passagem em um pátio urbano criativo, combinando instalação artística, mobiliário e restauração ecológica.

Crédito da Foto: Passagens IVM

The School Bridge
A “Ponte da Escola”, localizada na província de Fujian, não é somente um projeto funcional – criar uma escola em um espaço de passagem – mas também um centro espiritual. O conceito principal foi conectar a antiga comunidade a dois castelos de tradição milenar, onde o futuro (as crianças) e o passado (a história) se encontram. Também é uma maneira prática de resolver problemas de muitos pais: afinal, é mais fácil deixar meus filhos perto do trabalho ou próximo de casa? Que tal na passagem entre estes dois pontos?

Crédito da Foto: Passagens IVM

REINO UNIDO
A “Ponte de Papel” é uma arte final temporária feita para e sobre a paisagem do Distrito do Lago. A peça age como um ponto focal dentro de uma vasta paisagem aberta. A cor vermelha atrai o olhar e interfere no ambiente natural; ao mesmo tempo, cria um equilíbrio composicional com o pano de fundo verde e o fluxo de água. O Distrito dos Lagos tem uma longa e importante história na percepção da paisagem e da estética. A Paperbridge é vista como parte de seu legado contínuo e em evolução.

Crédito da Foto: Passagens IVM

JAPÃO
Andar por estas pórticos (conhecidos como “torii”, no Japão), torna a experiência muito mais sensível e acrescenta o valor espiritual. O torii da foto acima, situado na entrada do bairro de Fushimi-Ku, em Kioto, cria um caminho em cima de uma colina, situada a 230 metros do nível do mar, que nos leva até o templo por dentro de uma floresta. Estes pórticos são doações feitas por indivíduos, famílias ou empresas à deusa Inari, protetora do arroz. Os nomes dos doadores estão inscritos em cada torii.

Crédito da Foto: Passagens IVM

 

Mais detalhes destes projetos e de outras passagens mundo afora você acessa pela página do IVM: http://passages-ivm.com/en/passages

 

Pular para a barra de ferramentas