IVM CIDADE EM MOVIMENTO
A mobilidade é um tema social, não só uma questão de transporte. Para inovar, devemos observar a sociedade em seu conjunto. Instituto Cidade em Movimento (IVM): pesquisas e ações internacionais, soluções inovadoras, conhecimento compartilhado.

Cidade Legível

Maré à vista na Bienal de Veneza

A Bienal de Veneza é sempre um expoente quanto ao seu conteúdo e discussões, trazendo trabalhos dos mais interessantes ao redor do mundo, fomentando questões sociais, econômicas e atualidades. A cidade é o nosso território, e dentre os produtos da exposição, a apropriação da comunidade em “Placas de Rua da Maré” é dos que mais cativa com relação ao Cidade Legível que o Instituto Cidade em Movimento tanto defende.

A frente de pesquisa do Instituto fomenta a cidade que possa ser compreendida pelo cidadão, pela sua linguagem visual e um espaço aprazível para convívio, passagem e permanência. A iniciativa de Laura Taves, do Azulejaria e ONG Redes de Desenvolvimento da Maré para a comunidade da Maré é um modelo muito positivo e relacionável;

Favela_da_Maré

Complexo da Maré, RJ

imagens de Laura Taves

Iniciativa “Placas da Maré” em ação. Foto: Laura Taves

O Complexo da Maré, conhecido como Favela da Maré, é um bairro no Rio de Janeiro, dentre os mais populosos da cidade (9º de 160). São cerca de 139 mil habitantes, englobados em 16 comunidades – o que configura uma população maior que 80% dos municípios do Brasil.

Articulado quanto à militância, reúne diversas organizações não-governamentais, e dentre elas, a Associação Redes de Desenvolvimento da Maré, que luta pelos direitos da população e a Azulejaria, que oferece oficinas de arte. Os resultados são painéis artísticos ao redor do bairro, que fortalecem a sensação de identidade e pertencimento ao local.

IMG_3131

Painel artístico e a placa instalada. Foto: Laura Taves

O bairro vem apresentando iniciativas importantes há anos: em 2012, foi lançado o Guia de Ruas da Maré, produto de um trabalho de 10 anos e que trouxe o primeiro momento em que a cartografia do Rio de Janeiro trouxe as ruas da Maré. Com relação à Bienal de Veneza, o próximo passo: As Placas. A participação da comunidade na produção delas é dos processos mais honráveis: é reconhecimento de seu bairro, perante seus habitantes e a cidade como um todo.

O IVM vem discutindo Direito a Cidade ao longo de sua trajetória e presenciar a iniciativa das Placas de Rua da Maré na Bienal de Veneza é positivo e estimulante. Parabéns à Laura Taves, Azulejaria e a ONG Redes de Desenvolvimento da Maré.

2_IMG_6453

Oficinas para a produção das placas cerâmicas. Fotos: Laura Taves
5_IMG_6466

Pular para a barra de ferramentas