Em festa, avenida Paulista recebe a nova ciclovia de 2,7 km

A ciclovia da Avenida Paulista, na região central,  foi inaugurada na manhã deste domingo (28), com a avenida ocupada por milhares de ciclistas.

Por volta das 10h, a Paulista foi interditada ao trânsito nos dois sentidos e só foi liberada às 17h15.

A nova ciclovia tem 2,7km, da Praça Oswaldo Cruz à Avenida Angélica, e custou R$ 12,2 milhões

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), destacou a importância do trecho recém-inaugurado. “Isso aqui não é uma política partidária, não é uma política de governo. É uma política que deveria ser abraçada por todos os partidos, por todos os governos, para que pedestres e ciclistas tivessem o seu espaço garantido, além do transporte público. É importante para a cidade também pelo simbolismo. O principal cartão postal da América Latina agora tem um marco, que é a malha cicloviária”, declarou.

Muitos ciclistas carregavam balões brancos. O início do tráfego na ciclovia, no entanto, também ocorreu sob protestos.

Durante a madrugada, tinta azul foi jogada em um trecho da via próximo ao prédio da Fiesp, mas foi retirada após limpeza da Prefeitura. Outros movimentos estenderam faixa de “Fora PT”.

CicloviaPaulista_Haddad_ciclovia paulista_ Foto_Leon _Secom_PMSP

Pela manhã, o prefeito percorreu a ciclovia acompanhado pela primeira-dama, Ana Estela Haddad, pelos secretários Jilmar Tatto (Transportes), Gabriel Chalita (Educação) e Eduardo Suplicy (Direitos Humanos).

Haddad disse que outra ciclovia importante para a capital, localizada sob o Elevado Presidente Costa e Silva (Minhocão), tem previsão de entrega para o final do mês de julho, ainda sem data definida.

Devido ao aumento das vias destinadas à circulação exclusiva de bicicletas, a administração municipal estuda a possibilidade de intensificar suas ações educativas. “A observância das regras é fundamental para a segurança, não apenas dos ciclistas, mas [também] dos pedestres. Nós fizemos uma campanha de proteção ao ciclista antes da malha cicloviária. Talvez tenha chegado o momento de fazer uma campanha para o ciclista observar as regras, que são pouco conhecidas. O poder público vai ter que atuar nessa direção também”, afirmou o prefeito.

A Prefeitura também entregou no domingo (28) a ciclovia da Rua Itápolis, no Pacaembu, zona oeste. O trajeto passa ao lado do Estádio do Pacaembu e faz conexão com as ciclovias das avenidas Paulista e Pacaembu.

Ciclovia_Paulista_inaguracao_Leon Rodrigues_Secom_PMSP

Com as inaugurações deste domingo, a cidade passa a ter 334,9 km de malha cicloviária, incluindo 31,9 km de ciclorrotas. Aos domingos e feriados, a cidade conta ainda com 140 km de ciclofaixas de lazer. A atual gestão inaugurou 238,3 km de ciclovias desde junho de 2014. Antes, São Paulo possuía apenas 64,7 km. Para alcançar a meta 97 do Programa de Metas do Município, que prevê a implantação de 400 km de vias cicláveis, a administração municipal prevê o investimento de R$ 80 milhões.

Estiveram também na ciclovia da Avenida Paulista a vice-prefeita Nádia Campeão, que também coordena o Comitê Integrado de Subprefeituras (CIS), e os secretários municipais Celso Jatene (Esportes, Lazer e Recreação), Tadeu Candelária (Verde e Meio Ambiente), Luiz Antonio de Medeiros (Coordenação das Subprefeituras), Nunzio Briguglio (Comunicação) e Chico Macena (Governo).

Estrutura

Ciclovia_Paulista_inaguracao_2_Leon Rogrigues_Secom_PMSPCom 2,7 km de extensão, a ciclovia da Paulista foi construída com concreto pigmentado, método que confere maior durabilidade, regularidade e resistência ao piso. Alguns trechos, próximos a semáforos, ganharam grades para a proteção dos ciclistas. A fim de garantir maior segurança nas travessias, a sinalização semafórica existente foi sincronizada para o fluxo de bicicletas.

Entre a Praça Oswaldo Cruz (no Paraíso) e a Rua Haddock Lobo (Consolação), o percurso foi alargado e tem agora 4 metros, além de uma elevação de 18 centímetros em relação às pistas, com nivelamento apenas nos cruzamentos.

Quando o canteiro central termina e dá lugar ao Túnel José Roberto Fanganiello Melhem (Complexo Viário Paulista), a ciclovia continua bidirecional na faixa da esquerda, até a Rua da Consolação, e segue à direita entre a Consolação e a Avenida Angélica.

O espaço destinado aos pedestres não foi alterado. As oito faixas de rolamento foram redimensionadas e mantidas, sendo seis delas para veículos em geral e duas exclusivas para os ônibus, divididas em ambos os sentidos.

A ligação entre as ciclovias da Paulista e da Rua Treze de Maio se dá na Praça Oswaldo Cruz, onde houve troca do piso, reforma das jardineiras e das muretas em volta das árvores e instalação de nova iluminação.

O eixo da Paulista – Bernadino de Campos recebeu também dutos para passagem de fibra ótica e cabeamento sob o canteiro central. A Bernardino de Campos está passando por uma requalificação urbanística, o que permitirá enterramento de fiação, iluminação reforçada no canteiro central, implantação de totens de sinalização e de informações, e reforma das calçadas, tudo isso com a preservação das árvores existentes.