IVM CIDADE EM MOVIMENTO
A mobilidade é um tema social, não só uma questão de transporte. Para inovar, devemos observar a sociedade em seu conjunto. Instituto Cidade em Movimento (IVM): pesquisas e ações internacionais, soluções inovadoras, conhecimento compartilhado.

Passagens Jardim Ângela

Conheça os projetos premiados em outros países…e inspire-se!

As passagens criadas em meados do século 19 foram pensadas inicialmente com um caráter funcional de circulação entre bairros e cidades. Muitas destas travessias, passarelas, escadarias e becos se deterioraram com a intensificação da urbanização e o crescimento de moradores em regiões periféricas. Como podemos então pensar em passagens para estas cidades contemporâneas, difusas por suas redes de transporte e sedentas pela ocupação criativa e sensível de espaços públicos?

Foi neste contexto que em 2014 lançamos os primeiros concursos de arquitetura e urbanismo para recuperar o sentido social e a caminhabilidade destas passagens. Inicialmente realizado em Barcelona, os concursos se estenderam para países como França, China, Uruguai, Argentina e Costa Rica. Este ano chegamos ao Brasil para ressignificar os caminhos do Jardim Ângela, região com aproximadamente 300 mil habitantes, localizada na Zona Sul de São Paulo. O concurso Passagens Jardim Ângela está com inscrições abertas até 10 de maio para estudantes, profissionais, ativistas, coletivos e organizações de todo o Brasil. Basta enviar uma apresentação da equipe ou proponente, uma carta de interesse e uma proposta de intenção de projeto. Os finalistas desta primeira etapa ganharão um workshop com tutores e profissionais da Colômbia, China e Espanha. Saiba mais clicando AQUI.

Foto: Irene Quintáns

Para você começar a se inspirar em ideias inovadoras e criativas que possam gerar grande impacto nessa comunidade, nada melhor que ver o os exemplos de projetos planejados para outros países premiados nas edições do concurso do IVM.


Barcelona, Espanha
Este primeiro concurso realizado pelo IVM, destinado a profissionais de arquitetura e urbanismo, concentrou-se em repensar as passagens de  seis comunas em Barcelona. Dos seis projetos premiados apresentamos aqui o “Espaço contínuo, atividade diversa”, de Ramiro Chiriotti Alvarez, Carla Compte e David Fontanils, para os municípios de Montcada e Reixac. Em um vale formado debaixo do viaduto da autoestrada, a equipe planejou um conjunto de contêineres pré-fabricados para utilizações diversas, propondo momentos de descanso e de passagens.

Imagem do projeto “Espaço contínuo, atividade diversa”


Xangai, China
O desafio foi criar urbanidade para passagens em um antigo local construído para a Expo 2010. A proposta premiada foi o projeto intitulado “Sol entre os Portões”, de Pierre-Marie Auffret, Vincent Hertenberger e
Agathe Lavielle. O projeto cria uma passagem para o rio, que atravessa enclaves monofuncionais, transformando o condomínio em suporte de uma micro-economia que reinterpreta a figura história da aldeia. O bonde elétricoé desviado ao longo do parque, transferindo o centro de gravidade do local da Expo e criando um novo “sol entre os portões”.

 Imagem do projeto “Sol entre os Portões”


Tours/Saint-Pierre-Des-Corps, França
Esta região metropolitana de Tours é atravessada por uma autoestrada, um viaduto, uma ferrovia, dois cursos d’água e uma via pública secundária. Como então melhorar a relação entre as cidades de Tours e Saint-Pierre-Des-Corpos, permitindo a conexão entre bairros residenciais, zonas de comércio e negócios? O projeto “Micro-poros”, de Marc-Antoine Durand, Jordan Aucant e Stéphane Bonzani, consiste em levar microporosidades situados na intersecção de linhas de ruptura e de linhas de uso acima, abaixo e às margens da autoestrada. Estas microintervenções foram pensadas a partir de tapetes urbanos temáticos, que contém as “sementes” (a pista) a partir da qual uma regeneração é possível e onde os habitantes voltam a se encontrar.

Imagem do projeto “Micro-poros”


Toronto, Canadá
O desafio principal era integrar espaços de mobilidade ativadores de urbanidade nas zonas periféricas de Toronto, desprovidas de serviços sociais e culturais. O projeto premiado “No Caminho para Sheppard Park”, de Delva Landscape Architects & PlusOfficeArchitects, propõe uma série de intervenções simples, por meio de percursos ajardinados pontuadas com novas atividades.

Imagem do projeto “No caminho para Sheppard Park”


Mais inspirados para participar do concurso
Passagens Jardim Ângela e pensar em uma ideia impactante que ressignifique o sentido social destas travessias?Para mais detalhes dos projetos citados acima acesse nossa edição online da revista “Passagens”.

E acompanhe nossas conteúdos pelo Facebook e Instagram!

Pular para a barra de ferramentas